Quando visitamos uma grande cidade europeia caímos sempre na tentação de dedicar os dias aos destinos mais óbvios: os monumentos, os locais históricos, os museus e os restaurantes do TripAdvisor. Berlim não é excepção: o grandioso Portão de Brandemburgo, o anjo dourado na Coluna da Vitória, os vestígios do Muro de Berlim espalhados pela cidade, o registo histórico de um tempo inexplicável na Topografia do Terror, a ilha dos Museus, ou a torre em Alexanderplatz são monumentos que falam por si e que merecem uma visita, mas há muito mais que deves fazer na tua próxima visita à capital alemã. Partilho contigo 7 dicas para uns dias bem passados 🙂

1. Cinemateca Alemã

Junto a Potsdamer Platz, no coração do Sony Center em que decorre anualmente o festival de cinema Berlinale, encontramos o Museum Für Film und Fernsehen – literalmente, o museu do cinema e televisão. A Alemanha tem uma grande tradição cinematográfica, com nomes como Marlene Dietrich, Romy Schneider, Hans Zimmer, Werner Herzog, Wim Wenders, F.W. Murnau, Fritz Lang, entre muitos outros, marcam o presente e o passado.
A exposição permanente do museu tem patente uma linha histórica da evolução de ambas as artes, sem esquecer o tempo em que serviram como instrumento propagandista, nem tão pouco os anos da cortina de ferro. Para além disso, há exposições temporárias que recordam os grandes nomes nacionais. A entrada vale bem os 7eur.

2. Vans of Berlin

A Vans of Berlin é uma conta de Instagram muito, muito fixe. Por todo o lado vemos carrinhas, mais ou menos modificadas, e estes amigos vão partilhando as que encontram. Segue-os e garanto-te: vais ficar com vontade de contribuir!

3. Radio Fritz

Sabias que faço rádio? Se sempre tiveste curiosidade em saber como é a vida de estúdio tens duas opções: perguntar-me ou visitar a Rádio Fritz. As instalações de Berlim estão no interior do Baumhaus, um bar muito cool e recebem frequentemente concertos de bandas convidadas. Sim, eu sei que a música alemã não é muito convidativa, mas vale pela experiência. E a entrada é livre.

4. Sair na paragem Schlesisches Tor

A rede de transportes de Berlim é muito completa e emaranhada: metro, comboio, eléctrico e autocarros ajudam a  chegar a todo o lado. A paragem Schlesisches Tor do U-Bahn deixa-te no coração da diversão, em pleno bairro de Kreuzberg. O Baumhaus/Radio Fritz de que falava ali acima, caminho directo para bares ou outras casas nocturnas, o restaurante mais hipster do momento (a hamburgueria, o Burgermeister, instalada num antigo wc público).
O SO36 é o melhor bar da cidade e fica ali ao lado, casa favorita de David Bowie e Iggy Pop nos 70s, foi o berço da cena punk rock na cidade, e hoje recebe todas as segundas-feiras eventos de roller-disco.
Do outro lado do canal, está a East Side Gallery. Nesta secção do Muro de Berlim estão patentes alguns dos grafittis mais icónicos e a melhor forma de chegar é atravessar a Oberbaumbrücke. Vê aqui que bonita e pitoresca 🙂

5. Contar como um alemão

Todos apreciamos o esforço de estrangeiros que tentam falar a nossa língua. O alemão não é um idioma fácil, mas poderás sempre fazer o brilharete de contar com os dedos como um local. Eu explico: o #1 é mostrado com o polegar e não com o indicador como nós fazemos. O filme “Inglourious Basterds” de Quentin Tarantino ensina a desmascarar um estrangeiro:

6. Mauerpark ao Domingo

Os alemães adoram jardins e aproveitam todos os momentos que podem para se esticarem na relva. Ao domingo ocupam os parques da cidade, sendo este o maior e mais concorrido. Há karaoke, um flea market, desporto e até espectáculos espontâneos dos artistas que ali passam. Bem perto, na Oderberger Straße, há cafés e lojas para todos os gostos, de entre os quais é obrigatória a paragem no Bonanza. Mas se puderes visitar este em qualquer outro dia da semana, será uma experiência bem mais interessante.

7. Schnitzel no Stadtklause

Comer bem e barato em Berlim não é difícil. O schnitzel é basicamente um panado, uma iguaria gastronómica herdada pelos alemães dos austríacos. O Stadtklause é um pub familiar, pequeno e acolhedor junto à estação Anhalter Bahnhof – ou melhor, o que resta dela já que foi destruída durante a guerra, restando apenas a fachada – o que, por si, já merece a visita.