A Nugli está num wPod à beira da janela plantado! Eles contam-te como surgiram e como é o dia-a-dia do Nuno, Lourenço, Carlos e Gabriel…
Tudo começou na Escola de Engenharia da Universidade do Minho, num laboratório de investigação do Departamento de Eletrónica Industrial e Computadores, onde éramos bolseiros de projetos Europeus. Os projetos nos quais estivemos envolvidos, permitiram adquirir o know-how em várias áreas de conhecimento, desenvolver o espírito de trabalho em grupo e a capacidade de realizar todas as etapas relacionadas com a conceção de novos produtos. Os resultados alcançados nessa altura, foram bastante satisfatórios, tanto no que diz respeito ao sucesso individual, bem como no que diz respeito ao sucesso coletivo.
Embora as coisas rolassem de feição, existia algo dentro de nós que pedia mais. Não queríamos ser meros executantes de uma obra que não era nossa, mas sim criar a nossa própria imagem corporativa, para dar asas a algo que fosse nosso. O projeto foi avante, quando nos foi lançado um desafio relacionado com uma necessidade na área da saúde, mais concretamente na gestão da medicação. Assim, nasceu a Nugli a 30 de Agosto de 2015.
Para quem não tem muitos conhecimentos do que é o mundo empresarial e daquilo que é necessário fazer para constituir uma empresa, numa primeira fase pensa que é tudo um mar de rosas. Com o tempo, começamos a ter consciência que a tarefa era mais complexa do que aquilo que se pensava. Criação da empresa e todos os custos inerentes ao processo, procurar um espaço físico para a mesma, contabilidade, seguros, e mais um rol de coisas que parece não terem fim, não ajudam em nada a todos aqueles que querem dar um novo rumo às suas vidas profissionais e fazer com que a economia do seu país seja mais forte e prometedora.

Tal como aconteceu com o Steve Wozniak e o Steve Jobs, poderíamos ter começado no fundo de uma garagem, mas achamos que era pretensioso seguir as pisadas da Apple. O real problema, era que nem o fundo de uma garagem tínhamos disponível. O facto de acrescer à renda do espaço, os custos relacionados com a necessidade de se fazerem obras e a compra de imobiliário, e os já tradicionais contratos da água, da eletricidade e das comunicações, são motivos suficientes que desencorajam qualquer um de começar o seu próprio negócio. Daí a escolha do Factory Braga, onde todo o processo foi muito simples e onde encontramos pessoas que estão dispostas a facilitar o processo de quem quer começar uma nova vida empresarial.
O simples fato de não ser necessário limpar as nossas secretárias ou até mesmo de ir pagar as contas da água, da eletricidade e comunicações, fazem com que o nosso foco seja orientado apenas para o desenvolvimento do nosso projeto. Por outro lado, coisas tão simples que precisamos de fazer para o devido funcionamento da empresa, tais como ter um seguro de acidentes pessoais ou ter um livro de reclamações, vem-nos bater à porta.
O Factory Braga é agora o lugar onde pomos as nossas ideias em prática, onde divergimos e convergimos uns com os outros, com um único objetivo, o de desenvolver uma plataforma que ajude os cidadãos, as instituições e o próprio estado a gerir de forma simples e eficaz, o complexo processo da gestão da medicação.
Ao estarmos no Factory Braga, temos a certeza que os nossos clientes, parceiros e amigos, são recebidos em nossa casa “com pompa e circunstância”.
E por sermos os “geeks” ou “nerds” cá do sítio… não sei muito bem qual é a diferença?! De vez em quando, somos solicitados para resolver o problema do computador de alguém que deixou de funcionar. Uma boa forma de conhecermos os outros colegas que trabalham connosco aqui no FactoryBraga 🙂