Bem, o mundo do trabalho alterou-se nos últimos anos. Aliás, nos últimos 2 a mudança ainda foi mais notória. Os trabalhadores não procuram apenas por um bom salário, procuram também qualidade de vida. E é aqui que muitas pessoas começam a querer lançar-se como Freelancer.

Este modelo de “emprego” alia o trabalho a uma gestão de tempo como sempre quiseste. Optar pelo trabalho de Freelancer dá-te a oportunidade de gerir as tarefas, o trabalho, o tempo livre, as férias e até as decisões mais importantes do negócio. Coisas que muito raramente se encontra a trabalhar por conta de outrem.

No entanto, começar a trabalhar por conta própria tem o seu grau de dificuldade. E para te ajudar a começar, reunimos as 7 dicas mais importantes.

Vamos a elas?

1- Antes de tudo, estuda

Sim, estuda! Assegura-te que sabes o que estás a fazer. Aprende cada vez mais para conseguires prestar o melhor serviço. Também podes analisar as tuas competências, ver aquilo em que és menos bom e colmatar essas lacunas.

Imagina que fechas um excelente negócio, mas quando entregas o trabalho final não é aquilo que eles estavam à espera. Vai fechar-se essa porta e quem sabe muitas outras. É mesmo importante que estudes e saibas o máximo possível sobre a tua área.

Além de que os mercados estão sempre a mudar. Terás que estudar para te manteres atualizado.

 

2- Escolhe a área para ser freelancer

Este ponto podia vir ao mesmo tempo que o anterior. Antes de te atirares ao mar dos freelancers, define qual a área a que te vais dedicar, ou o serviço específico que vais prestar. Além disso, aproveita esta fase para definires o teu público-alvo e qual o teu ponto de diferenciação.

Por exemplo, és designer e queres ser designer em freelancing. Podes escolher trabalhar com designs para equipas de futebol, ou para o mercado da moda, por exemplo.Já tens uma diferenciação e o público-alvo para quem comunicar.

 

3- Planeia a tua vida de freelancer

Já sabes o que fazes de melhor e já definiste para quem queres trabalhar. Agora, está na altura de planeares a tua vida. Vais ter um horário fixo? Quantas horas trabalhas por dia? Onde será o teu posto de trabalho (e aqui já te dou a resposta: No Factory) , qual a identidade da tua “marca”, como será todo o processo de trabalho? Etc.

Planeia tudo aquilo que vais fazer no futuro. Aqui também podes incluir o planeamento financeiro e quais as tuas obrigações legais como freelancer 💼

 

4- Define os preços do teu serviço

Em primeiro lugar, quanto é o teu valor/hora e quanto é que o cliente te pagará por cada serviço. Em segundo, percebe quanto é que o cliente está disposto a pagar pelos teus serviços.

Mas no Curso Completo: Como ser Freelancer a Sofia Rocha e Silva vai, contigo, definir quais os preços a praticar e como se chega a esse valor.

Curso Como Ser Freelancer

 

5- Aprende a dividir as contas ➗

O dinheiro da marca é um, o teu é outro. Para conseguires fazer isto, paga um salário a ti mesmo no final do mês. Além do teu salário, terás outros custos, como telefone, internet, renda, água, luz, etc. Dessa forma, é relevante que faças o planeamento financeiro e que o vás seguindo de perto.

 

6- Cria um portefólio como freelancer

Nenhum cliente te vai contratar se não conhecer o teu trabalho, sobretudo se nem existirem testemunhos de clientes anteriores. Teres uma forma de mostrar aquilo que melhor sabes fazer, é crucial na vida de um Freelancer. Por outro lado, podes estar a começar e ainda não tens portefólio, certo? Cria-o na mesma. Utiliza trabalhos feitos por ti, como hobby ou para familiares e amigos. Assim, um portefólio que se destaque, é meio caminho para angariares clientes.

 

7- Procura os clientes

Não vale de nada, estares sentado em frente à tua nova secretária à espera que um cliente caia. Os clientes não aparecem por milagre.

São imensas as formas que existem para procurar trabalho como freelancer:

  • Porta-a-porta: o mais antigo, mas que funciona muito bem. Faz uma lista de possíveis clientes e vai lá, apresenta-te;
  • Redes Sociais: acima de tudo, imagina as tuas redes sociais como uma montra. Devem demonstrar a qualidade dos teus serviços e o teu conhecimento;
  • Website: cria um site com os teus trabalhos e informações. Não te esqueças de o otimizar para SEO, para que comece a aparecer nos primeiros lugares do motor de busca;
  • Plataformas de freelancers: tens várias, basta fazer uma pequena pesquisa no Google. Vão ser-te mostradas plataformas, como, por exemplo, a fiverr. 

 

Então, ainda te parece um bicho de sete cabeças? É normal, por isso mesmo criamos o Curso Completo: Como Ser Freelancer. Esta formação é indicada para quem quer dar os primeiros passos como freelancer, ou para quem já o é, mas ainda precisa de “limar algumas arestas” na parte logística do negócio.

Portanto, vais falar sobre os 4 principais pilares — gestão do tempoorçamentoscontabilidade e gestão de clientes — e como equilibrar a vida pessoal com a profissional.

Depois deste curso, é só começar a trabalhar e a usufruir de mais tempo livre, porque com toda a certeza, terás 🥳

 

Fontes:

@sofiarochaesilva

Rockcontent

ekonomista