“Adoro gestão de redes sociais! Uso todas, estou sempre a seguir os principais influencers e quero viver sempre online!”

Para muita gente, esta frase encaixa-se na perfeição do perfil de um social media, o gestor de redes sociais. Entretanto, ela traz apenas uma pontinha do iceberg que representa a área.

Mais do que “estar sempre a par”, ser cool e outras tantas características dos millennials, a função de gestor de redes sociais não é um passatempo, um papel “para o estagiário” ou um emprego temporário.

Trabalhar com gestão de redes sociais é também ser: analítico, crítico, diplomático, criativo e organizado. É ter sensibilidade para criar conteúdo relevante num mercado vasto e compreender que aquela interação tem um impacto tanto para a marca quanto para o consumidor. É estar numa fronteira entre a empresa e o público e saber como gerir um conjunto de ferramentas – que estão sempre a mudar – para ter os melhores resultados para todos.

Eu sei. O texto é quase uma declaração ao cargo. Mas não posso evitar! Por três anos, desempenhei duas funções dentro da área. E hoje, tanto no meu projecto pessoal, a Vegana no Mundo, quanto no Factory, as redes sociais mantêm um papel de imenso destaque no meu dia-a-dia.

Declarações à parte, por agora, acabou a treta! Vou directo aos tópicos que te trazem a este artigo.

Afinal, quais as boas práticas para a gestão de redes sociais?

gestão de redes sociais

1. Tom de comunicação

Uma marca depende directamente do que ela comunica. Por isso, definir um tom de comunicação e concentrar os esforços para transmitir os valores do projecto de forma coesa é tão importante. Além da credibilidade passada por uma marca que sabe e expressa correctamente o que é, a definição do tom de comunicação:

  • Fortalece a imagem
  • Aumenta a notoriedade
  • Representa a marca – no Digital e no offline

E mais: nivelar o tom de comunicação de acordo com cada rede é essencial! Por exemplo, ao apostar no humor, é preciso compreender que piadas e memes podem funcionar bem no Twitter. Entretanto, podem não ser tão bem aceitos no Linkedin ou Pinterest. E, é claro, tudo depende da aceitação do teu público!

2. Copywriting

Podes ser a pessoa mais criativa do mundo, com ideias geniais e óptimos insights. Entretanto, as habilidades com a escrita devem estar sempre entre as tuas principais qualidades. Apesar do visual ter cada vez mais importância, a parte escrita é imprescindível. A preocupação com o copy bem executado e estruturado, que passa a mensagem de forma clara, deve estar sempre em mente.

Queres ir além? Explora a linguagem do teu nicho! Especializa-te e aposta em referências que conectam com o teu público. Isto mostra que fazes parte da comunidade que queres atingir e que não estás apenas a invadir um espaço com o propósito comercial. Começa a explorar o universo do Content Marketing e Copywriting com a Mónica Aragão!

Atendimento Redes Sociais

3. Atendimento

Quem nunca fez um comentário na rede social de uma marca e sentiu-se rejeitado após não obter uma resposta? Esta situação, infelizmente, é mais rotineira do que parece e é um daqueles pontos que diferenciam a boa da má gestão de redes sociais.

A cordialidade é a base para qualquer interação – seja ela virtual ou presencial. Quando esta interação acontece nas redes sociais, alguns cuidados fazem toda a diferença e contribuem para uma óptima experiência. Vamos a isto:

  • A última interação deve ser sempre tua! O motivo? Além de demonstrar preocupação, isso melhora a tua taxa e tempo de resposta.
  • Cuidado com a escrita! Sim, escrever correctamente é imprescindível! Entretanto, o excesso de formalidade num canal que tende a ser mais espontâneo pode levar à má interpretação do que está a ser dito.
    Por exemplo:
    – “Estamos fechados.” e “Estamos fechados 😢”. Qual frase parece mais humana e simpática?
    – “ADOREI A DICA” e “Adorei a dica!”. Qual frase representa uma conversa do quotidiano?
  • Quanto mais fácil para o consumidor, melhor! O cliente interagiu? Apresentou uma dúvida? Além de esclarecer a questão, oferece soluções, praticidade e um caminho directo para o objectivo pretendido. A regra é simplificar ao máximo os passos e mostrar ao cliente que ele é a tua prioridade! É a vez do chamado SAC 4.0, focado na experiência do cliente!

4. Identidade Visual

O que caracteriza a tua marca? Explorar os aspectos visuais da tua identidade e criar um conteúdo que identifica o teu projecto é uma das formas de fortalecer a tua presença no Digital. Com a variedade e constante expansão dos formatos, é possível criar verdadeiras experiências para o utilizador. Para isso, aposta em:

  • Filtros;
  • Elementos visuais: (texturas, formas, logo, fontes);
  • Diz não à monotonia: deve haver uma unidade, mas o teu conteúdo não pode parecer repetitivo ou previsível.
  • Utiliza templates e séries para direccionar o teu conteúdo.

Queres explorar mais este tópico? O curso de Photoshop para Redes Sociais apresenta as bases para a criação de conteúdo visual!

Planeamento para Redes Sociais

5. Calendarização

Criar conteúdo, principalmente quando esta não é a única função desempenhada, não é uma tarefa fácil. No entanto, para optimizar os resultados da tua estratégia, a regularidade e a constância na partilha de conteúdos é um ponto crucial. Calendarizar o conteúdo e definir o que, quando e onde publicar são alguns dos tópicos que devem ser estabelecidos e seguidos à risca.

Inicialmente, pode parecer confuso estabelecer os melhores horários e até definir as plataformas. Entretanto, com uma metodologia, testes e análise de dados, consegues descobrir o melhor cenário para a partilha de conteúdos. Sabe como aqui!

👉 Quais destas dicas te parece mais útil? Queres saber mais sobre o tema e explorar a criação de conteúdo e particularidades de cada uma das principais redes sociais? O curso de Gestão de Redes Sociais está em agenda. Até 25 de Março, faz a tua inscrição e aproveita o desconto early bird de 25%!